Butsuma Senju (千手仏間, Senju Butsuma) foi um membro do clã Senju durante a era devastada pela guerra que antecede a época das aldeias ocultas.

Personalidade

Butsuma bate em Hashirama.

Butsuma parecia ser um homem estoico e calmo, mas também foi bastante severo e um tanto agressivo. Ele perdeu a paciência e chegou mesmo ao ponto de bater em seu filho Hashirama quando este tocou no assunto de usar crianças inocentes como shinobi, acreditando que eles tinham morrido como shinobi de verdade e não manchando a memória de seu filho.[2] Ele acreditava que criar seus filhos para serem os melhores shinobi poderia ser o maior amor que um pai poderia mostrar para o seu filho.[3]

Aparência

Um homem de alta estatura, ele também possuía olhos escuros e cabelo negro na altura dos ombros, que manteve em volta de seu rosto por um pedaço de pano amarrado em torno de sua testa. Ele também tinha um queixo proeminente, e usava a armadura padrão de que era estampada com o símbolo Senju na frente e em ambos os lados das placas de ombro, acompanhados com uma armadura de malha por baixo de seu traje.

História

Passado

Butsuma com seus filhos.

De pé ao lado de seus três filhos com os recentes acidentes da guerra sendo enterrados, — um de seus filhos, Kawarama, entre eles — ele repreendeu seu filho mais novo Itama por chorar, já que os shinobi não deviam mostrar emoções. Quando Hashirama confrontou-o sobre o envio de uma criança como Kawarama para lutar, em um acesso de raiva, Butsuma socou seu filho, afirmando que Kawarama tinha morrido como um shinobi de verdade. Com Hashirama questionando se ou não, foi a morte que fez um shinobi digno e se eles não estavam simplesmente cometendo um ciclo interminável, ele disse a Hashirama que ninguém com uma arma é um inimigo. Em seu limite com Hashirama, ele se preparava para atacar seu filho novamente mas Tobirama interveio antes e explicou que Hashirama estava apenas de luto. Depois acalmou-se, e disse para Hashirama a fazer o mesmo.[4]

Butsuma e Tobirama encaram Tajima e Izuna.

Algum tempo depois, depois de saber que Hashirama estava passando o tempo com uma pessoa desconhecida, Butsuma mandou Tobirama seguir seu irmão e reportar de volta para ele. Descobrindo a identidade de Madara, Butsuma disse a seu filho que Madara era um Uchiha e, para as ações de Hashirama não parecerem traiçoeiras para os outros Senju, pois era uma criança que tinha matado vários dos mais fortes deles, ele tinha que espionar o jovem, e matá-lo se algum dia ele descobrisse a missão secreta. Mais tarde, na sequência vai com Hashirama para onde conheceu Madara, ele assistiu em como Hashirama e Madara correram para longe da cena.

Butsuma e seu filho, colidindo com Tajima e Izuna.

Percebendo que Hashirama devia ter avisado Madara, Butsuma se prepara para fazer um movimento e foi confrontado por Tajima, e Izuna Uchiha tanto como Butsuma e Tobirama saudaram controversos.[5] Como ambos os lados moveram-se para atacar o outro filho, na esperança de ganhar uma vantagem sobre o outro uma vez que eles estavam equilibrados, que seriam seus ataques fatais foram desviados por seus filhos. Assistindo como Hashirama se juntou ao campo de batalha, Butsuma ouvia como seu filho tentava argumentar com a sua oposição. Butsuma depois olhou em choque como o jovem Madara despertou seu Sharingan bem diante deles, e se perguntou se ele tinha acabado de acordar naquele momento.[6]

Habilidades

Não se sabe muito sobre suas habilidades, mas o fato de que ele carregava uma espada nas costas indica que ele praticou kenjutsu. Seu poder era também de reputação a ser igual ao seu homólogo Uchiha, Tajima Uchiha — um portador do Sharingan.[7]

Curiosidades

  • "Butsuma" (仏間) é uma palavra que se refere a uma capela de família budista ou um quarto altar.

Referências

  1. Quarto Databook, página 114
  2. Naruto capítulo 622, página 8
  3. Naruto capítulo 622, página 9
  4. Naruto capítulo 622, páginas 6-10
  5. Naruto capítulo 623, páginas 11-17
  6. Naruto capítulo 624, páginas 1-8
  7. Naruto capítulo 624, página 1
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.